A Tradição do Incenso nas Santas Missas Solenes

Clique no Botão do Whatsapp e compartilhe com 5 Pessoas

A palavra incenso vem do latim incendere, que significa ‘queimar’. O incenso é uma resina aromática derivada da seiva da planta Boswellia, e seu uso é muito antigo. Como tinha de ser importado de terras distantes, era um sacrifício de grande preço e um presente adequado para o Rei dos Reis.

O incenso era queimado duas vezes ao dia em um altar especial do Templo em Jerusalém, e uma vez ao ano, no Dia do Perdão, pedaços de carvão desse altar eram levados em um turíbulo, com dois punhados de incenso, ao Santo dos Santos, onde era queimado em cerimônia solene diante da sede de misericórdia da Arca da Aliança, onde se dizia que habitava a Shekhinah, ou presença do Senhor.

“E veio outro anjo e parou diante do altar, tendo um turíbulo de ouro, e lhe foram dados muitos perfumes das orações de todos os santos, para que os pusesse sobre o altar de ouro, que estava ante o trono de Deus. E subiu o fumo do perfume das orações dos santos da mão do anjo diante de Deus.” – (Apocalipse 8,3-4)

Incensação:

Nas Missas Solenes as oblatas de pão e vinho são incensadas, assim como o altar e todos os presentes. O Celebrante (Padre) abençoa o incenso dizendo:

Pela intercessão do bem-aventurado Arcanjo São Miguel, que está à direita do altar do incenso, e de todos os seus eleitos, digne-se o Senhor abençoar este incenso e + recebê-lo qual suave perfume. Por Jesus Cristo Senhor nosso. Amém.

Recebendo o turíbulo, ele incensa o pão e o vinho:

Que este incenso, por Vós abençoado, se eleve até Vós, Senhor, e sobre nós desça a vossa misericórdia.

Incensando o Altar, ele reza as palavras do Salmo 140:

Suba até Vós, Senhor, como incenso, a minha oração; e o meu erguer de mãos seja como o sacrifício vespertino. Ponde, Senhor, guardar à minha boca, e sentinela à porta dos meus lábios; não se deixe meu coração arrastar a palavras de maldade, que lhe sirvam de pretexto para o pecado.

Passando o turíbulo ao Diácono ou Acólito, ele diz:

Acenda o Senhor em nós o fogo do seu amor e as chamas da eterna caridade. Amém.

Então, são incensados o celebrante, o clero e depois a assistência. Quando a congregação é incensada, ficamos de pé e inclinamos a cabeça.

 

Fonte: TESOURO DA TRADIÇÃO – Guia da Missa Tridentina parte 2 pag.22

Clique no Botão do Whatsapp e compartilhe com 5 Pessoas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.