É lícito ao católico “pular”CARNAVAL?

Clique no Botão do Whatsapp e compartilhe com 5 Pessoas

Iniciaremos esse post, rememorando algo que foi colocado na gaveta do esquecimento por nós católicos. O alerta de Santa Faustina, que nos exorta o seguinte:

“Nestes dois últimos dias de carnaval, conheci um grande acúmulo de castigos e pecados. O Senhor deu-me a conhecer num instante os pecados do mundo inteiro cometidos nestes dias. Desfaleci de terror e, apesar de conhecer toda a profundeza da misericórdia divina, admirei-me que Deus permita que a humanidade exista.” (Diário, 926)

A visão desta nossa irmã, foi há mais de 100 anos, quando os carnavais eram considerados mais “Tranqüilos”. Se, naquela época, ela desfaleceu de terror ao ver os pecados cometidos nestes dias, imagine o quanto esses pecados multiplicaram-se ao longo dos anos, até chegar à TRAGÉDIA que ocorre nos carnavais atuais, onde as virtudes são aniquiladas, são rebaixadas a zero; onde os sorrisos graciosos camuflam a falta de Deus no coração das pessoas; onde os corpos expostos tentam esconder o vazio de uma vida levada pela aparência, pelo desejo de ser visto, não pela sua alma, mas pelo o que é despertado pelo olhar. Lugares pavimentados de olhares curiosos, comparados á um açougue, em que o cliente busca a melhor carne para levar para a sua casa, assim agem tantos jovens, comprados com alto preço, mas sendo vendidos por nada.   Você pode se questionar, mas será que no carnaval eu não posso me reunir com minha família, para me distrair, descansar? Caro católico, longe do puritanismo e falso moralismo, em TUDO, em todos os ambientes que você esteja pensando em ir, é bom fazer os seguintes questionamentos antes:

  1. Um santo iria para esse lugar? Com que intenção estou indo?
  2. Conseguirei dar Glória a Deus neste lugar?
  3. Este lugar corresponde a um local em que reina o pecado e que irá servir de tentação para mim?

Feito isso, caso seja agradável a Deus que você vá para tal lugar, ter um divertimento saudável para alma e para o corpo,  aproveite com moderação e em santidade, seja com sua família ou em retiros. E observe que esse post é para os termos mais genéricos de carnaval, aquele retratado pela mídia, em que bem sabemos quais os pecados que ali reinam. Você pode questionar: Mas, no caso em que: irei pular o carnaval, sei que vão reinar estes pecados, porém conheço a verdade e não irei cometê-los, mesmo assim não é licito? Caro irmão, Santo Afonso Maria de Ligório nos exorta que: “expor-se a uma ocasião próxima de pecado mortal, que se poderia evitar, já é pecado mortal de imprudência”. Vejamos que não podemos ser presunçosos, por achar que sabemos a verdade, podemos nos expor deliberadamente as situações de pecado. Reforçando, a Sagrada Escritura também nos diz que: “Pode alguém caminhar sobre brasas sem queimar os próprios pés?” (Pr 6,28). Vejamos o que nos diz outros Santos e a Sagrada Escritura:

“Um sem número de cristãos se perde por não querer evitar as ocasiões de pecado. Quantas almas lá no inferno não se lastimam e queixam: “infeliz de mim! Se tivesse evitado aquela ocasião, não estaria agora condenado por toda a eternidade!”

Santo Afonso Maria de Ligório

“Quem ama o perigo, nele perecerá”

Eclo 3,27

 “O carnaval é um tempo infelicíssimo, no qual os cristãos cometem pecado sobre pecados, e correm á rédea solta para a perdição”

São Vicente Ferrer

Portanto, reflitam caros irmãos: onde ficam na quarta-feira de cinzas os sorrisos oriundos de danças imodestas, de músicas que denigrem o ser humano? Onde ficam os olhares de pessoas sedentas de Deus que não conseguem enxergar nada além do que um objeto a ser usado, nada além do seu egoísmo? Onde foram deixados os ensinamentos que AMAR é se sacrificar, e não se vender por uma cantada embriagada? Em que lugar deste carnaval você feriu Jesus? Em que hora você impediu que DEUS FOSSE DEUS PARA VOCÊ, e parou de agir como um FILHO, que reconhece que o SANGUE NA CRUZ foi para nos redimir, foi por AMOR?

Corramos meus irmãos para os braços daquele que nos criou, busquemos proteger nossa alma de todos os pecados, sobretudo a nossa pureza do olhar, dos pensamentos, do agir.

“Uma alma pura é uma pérola preciosa. Enquanto está escondida na concha no fundo do mar, ninguém pensa em admirá-la. Mas se a trouxermos para a luz, esta pérola brilhará e atrairá todos os olhares. Portanto, a alma pura que está escondida aos olhos do mundo um dia irá brilhar ante os anjos no sol da eternidade”.

São João Maria Vianney

Referências

  1. Diário de Santa Faustina
  2. https://padrepauloricardo.org/blog/o-recado-de-uma-freira-catolica-aos-folioes-de-carnaval
  3. http://www.catolicosnabiblia.com.br/catolico-pode-pular-carnaval-o-que-nos-diz-a-igreja-e-a-biblia

 

Clique no Botão do Whatsapp e compartilhe com 5 Pessoas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.