O cântico Magnificat de Maria

Clique no Botão do Whatsapp e compartilhe com 5 Pessoas

Nos quatro Evangelhos da Santa Bíblia, não são realmente muitos os momentos em que Nossa Senhora aparece como protagonista. São poucas as palavras de Maria que o Espírito Santo, o inspirador dos textos sagrados, quis deixar registradas. Agora bem, todos os momentos em que Ela, a Mãe de Jesus e nossa, aparece, são essenciais e importantíssimos. E cada palavra registrada tem um valor incalculável.

Considerando, então, que Maria sempre teve um papel silencioso, mas fundamental na vida de Jesus e na obra da Salvação toda, chama especialmente a atenção que Deus tenha querido que um cântico maravilhoso, longo, pronunciado pela Virgem de Nazaré num momento de imensa alegria e entusiasmo, ficasse registrado para que todos nós tirássemos experiências e sentimentos maravilhosos para nossa vida e nossa caminhada.

Estamos nos referindo ao cântico de louvor pronunciado por Maria Santíssima diante da sua prima Isabel (ver Lc 1, 39-56) e que é conhecido como o “Magnificat”, um cântico que é grandíssima expressão de louvor, de alegria e da paz que vem da presença do Senhor no próprio coração.

Este cântico é conhecido com esta palavra em latim, “Magnificat”, porque é a palavra com a qual Nossa Senhora começou seu cântico de louvor a Deus: “Engrandece”. Maria queria que suas palavras engrandecessem, fizessem maior e mais glorioso o próprio Deus.

Chama muito a atenção, lendo o Magnificat, que Maria utiliza palavras e frases muito expressivas. Ela realmente estava muito feliz naquela hora! Não se conteve! O coração estava cheio da graça e da presença do próprio Cristo, já presente no seu ventre, e Maria literalmente transborda de júbilo! O coração estava tão cheio de alegria e agradecimento a Deus que a boca pronunciou quase que naturalmente, aquelas palavras belíssimas e cheias de significa. Realmente, como Jesus depois veio falar, a boca fala daquilo que temos no nosso coração.

A presença do Senhor tinha preenchido tanto a vida e o interior de Maria que ela “contagia” tudo o que está ao seu redor desta mesma presença. Aliás, este é o segredo da verdadeira paz e da verdadeira alegria: elas só vêm, elas só existem, quando nossa vida está cheia da presença do próprio Deus.

Mas se engana quem pensa que Maria pronunciou tudo aquilo de improviso, dando uma de “repentista”. O poema é uma coletânea de versos extraídos do Antigo Testamento, tendo como pano de fundo o chamado “Cântico de Ana” (cf. I Sm 2,1-10). Nossa Senhora sabia de cor essas canções, elas eram a história do seu povo. Composição de mulheres que conhecem bem as Escrituras.

A principal fonte inspiradora do Magnificat é o “Cântico de Ana”, mulher estéril, por isso discriminada e humilhada. Na amargura, ela chora e derrama a sua alma diante de Deus (cf. I Sm 1,10.15). Mas sabe expressar a sua gratidão ao se tornar mãe de Samuel: “Eu o pedi ao Senhor” (1 Sm 1, 20).

Leia também:
Você sabe qual era a língua que Jesus falava?

Muito sabiamente, o redator de I Samuel a ela atribui o poema presente em 1Sm 2,1-10. “O meu coração exulta em Deus, a minha força se exalta, o arco dos poderosos é quebrado, os fracos são cingidos de força” (idem 1.4-5).

Entretanto, esse cântico [Magnificat] percorre vários livros do Antigo Testamento.

Isaías havia dito: “Transbordo de alegria em Javé, a minha alma se alegra, porque ele me vestiu com vestes de salvação, cobriu-me com um manto de justiça” (Is 61,10). Habacuc 3,18 diz algo semelhante: “Eu me alegrarei em Javé, exultarei no Deus de minha salvação”. A figura do “servo sofredor” também é retomada, quando o poema diz que o Senhor “socorreu Israel seu servo” (cf. Lc 1,54).

Em Maria acontece algo extraordinário: toda a sua alma concebe o Verbo de Deus, porque ela foi imaculada e isenta de vícios, guardou a sua castidade com pudor inviolável. Assim, com Nossa Senhora, engrandece ao Senhor aquele que segue dignamente a Jesus Cristo.

A Virgem humilde de Nazaré se torna a Mãe de Deus; jamais a onipotência do Criador se manifestou de um modo tão pleno. E o coração castíssimo de Nossa Senhora manifesta de modo transbordante a sua gratidão e a sua alegria. E então, canta: “A minha alma engrandece o Senhor e o meu espírito exulta em Deus, meu Salvador”.

CANTEMOS ESSA ORAÇÃO QUE SAIU DOS LÁBIOS DE MARIA SANTÍSSIMA!

Fonte: vidacrista (Pe. Andrés E. Machado) / Canção Nova
Vídeo: Gabriel Zavitoski

 

Clique no Botão do Whatsapp e compartilhe com 5 Pessoas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.