Veja quem são Satanás e seus Demônios

Clique no Botão do Whatsapp e compartilhe com 5 Pessoas

Antes de tudo é preciso deixar claro que Satanás é uma anjo criado bom, mas que se rebelou contra Deus e afastou-se Dele, construindo por si mesmo o Inferno. Este, que também fique claro, não foi criado por Deus, não estando sequer em Suas previsões originárias.

É importante este conceito da origem do Inferno, a qual é devida exclusivamente a Satanás e à sua livre escolha, feita ao discordar da harmonia da obra divina. Em certo sentido, o Demônio tornou-se o Antideus, aquele que combate os planos do Senhor, porque se rebelou por primeiro, repudiou a obediência e o desígnio que Deus tinha sobre ele.

Como foi dito, Satanás é um anjo decaído e portanto, como os anjos, é puro espírito. Assim sendo não possuindo um corpo, se quiserem apresentar-se, precisam assumir uma forma visível e sensível, adequada à percepção do homem. Esta forma é escolhida com base na missão que eles devem cumprir.

Lemos no livro de Tobias, por exemplo, que o Arcanjo Rafael assume a figura de um corpo humano de rapaz em busca de trabalho, para poder, assim, ao longo do percurso, acompanhar Tobias, filho de Tobit, que deve realizar uma viagem – [Tb 5,4-6].

Do mesmo modo que ocorre com os anjos, para os seres humanos é impossível afigurar-se o Demônio enquanto criatura de puro espírito, e ele, quando se apresenta, assume uma forma provisória e falsa, de acordo com o que se  preestabelece, conforme seu objetivo. Caso queira apavorar, assume a forma de um animal assustador ou de um monstro, em suma, de algo que gere terror; caso queira, ao invés, seduzir, assume a forma de meninas garbosas, como aconteceu com Padre Pio quando o diabo se apresentou a ele em Venafro, ou como narram famosas histórias sobre as lutas entre os Santos.

Leia também:
Sabe por que 3 da manhã é a “hora do diabo”?

Portanto, já se respondeu à clássica pergunta sobre a existência de um diabo com chifres, cabeça de bode, cauda, casco, unhas e asas de morcego, conforme as representações literárias e populares. Evidentemente, todas são formas “falsas”, que no entanto, possuem o poder simbólico de representar quase uma figura humana decaída até o estado animal, com traços animalescos, que mostram de maneira facilmente compreensível a corrupção e a degradação produzidas pelo pecado.

Os demônios são servos do Maligno: anjos que o seguiram em sua queda do Paraíso. São muitíssimos; também para eles, como para os anjos, vigora uma hierarquia. Sabemos que, para os anjos, o chefe é São Miguel Arcanjo, ao passo que para os demônios o chefe é indicado, também pela Bíblia, com vários nomes que podem ser sinônimos, como por exemplo Satanás e Belzebu; Lúcifer, ao invés, não é um nome estritamente bíblico e, segundo as experiências em exorcismos, é um diabo diferente de Satanás (enquanto para alguns também este seria um sinônimo).

Os demônios são, portanto, hierarquicamente dependentes e obedecem a uma estrita hierarquia, tal como ocorre em todas as máfias e bandos de malfeitores, guiada pelo medo e pela opressão, e não pelo amor, como ocorre com os anjos.

Os poderes dos demônios são todos aqueles que se adequarem ao desenvolvimento de seu encargo, que consiste em tentar o homem para o mal, separando-o de Deus, destruindo, desse modo, Seus planos.

 

Fonte: Vade retro, Satanás! – Pe Gabriele Amorth

Clique no Botão do Whatsapp e compartilhe com 5 Pessoas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.