A Unção dos Enfermos perdoa os pecados?

Clique no Botão do Whatsapp e compartilhe com 5 Pessoas

Sim, porém o perdão dos pecados por meio deste sacramento corresponde ao efeito secundário do mesmo.  O efeito primário deste sacramento é a cura da alma dos efeitos do pecado. Então, o fiel que for receber o sacramento da unção dos enfermos precisa confessar os pecados? Sim, a confissão é o sacramento da igreja em que o efeito primário, é o perdão dos pecados e o mesmo para ser válido necessita de sincero arrependimento. Dessa forma, estando o fiel em pecado mortal e tendo possibilidade física e mental de confessá-lo, tal confissão deve ser realizada. Nos casos em que o fiel não tem mais condições de confessar os pecados, a unção dos enfermos é suficiente para perdoá-los, porém é importante que as pessoas próximas ao fiel procurem levá-lo a confissão antes que o mesmo chegue nesse estágio de inconsciência. A  respeito dos fieis que devem receber este sacramento, o Código de Direito Canônico, no cânon 1004 nos exorta:

1. A unção dos enfermos pode ser administrada ao fiel que, tendo atingido o uso da razão, começa a estar em perigo por motivo de doença ou velhice.

Vemos claramente neste Cânon a função primeira deste sacramento de aliviar a alma dos efeitos do pecado. Auxiliando, pois, contra a tibieza em praticar atos de virtude, angústia derivada da própria doença, contra as insídias do demônio e contra a perda da confiança e esperança em Deus. Este sacramento é utilizado para qualquer tipo de doença? Não, o catecismo nos esclarece:

A Unção dos Enfermos «não é sacramento só dos que estão prestes a morrer. Por isso, o tempo oportuno para a receber é certamente quando o fiel começa, por doença ou por velhice, a estar em perigo de morte» (125).

Se o maior efeito deste sacramento é na alma, pode haver cura física? Sim, quando esta for útil para a salvação.

“Ao passo que a extrema unção não causa a saúde do corpo por propriedade natural da matéria, mas por virtude divina, que obra racionalmente. E como um princípio operativo não produz nunca um efeito secundário, senão enquanto este importa ao principal, por isso este sacramento não causa nunca a saúde do corpo senão enquanto esta importa a saúde espiritual. – E então a produz sempre, contanto que não haja impedimento por parte de quem a recebe.” Suma Teológica – Santo Tomás de Aquino

Referências

  1. Suma Teológica – Santo Tomás de Aquino
  2. Catecismo da Igreja Católica
  3. Código de Direito Canônico
  4. http://domtotal.com/direito/pagina/detalhe/31867/codigo-de-direito-canonico
  5. https://pt.aleteia.org/2016/06/24/a-uncao-dos-enfermos-pode-perdoar-os-pecados-mesmo-se-a-pessoa-nao-se-confessar/
  6. https://padrepauloricardo.org/episodios/a-uncao-dos-enfermos-perdoa-os-pecados
Clique no Botão do Whatsapp e compartilhe com 5 Pessoas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.